Abundância – I

Por: Aaron Keene
22/04/2020


Meditação

Abundância – I


Abundância – I

Como se atrai a abundância?

Quando o tema abundância é trazido à tona nas redes sociais, como por exemplo, no Facebook ou no Instagram, posts comuns alertam que ‘é preciso estar aberto ao fluxo da abundância’, ou então que, ‘crenças limitantes podem fazer com que você não esteja recebendo o que é seu por direito’.

E diversas perguntas ficam no ar… Há mesmo um fluxo de abundância? E por que abarca a alguns e não a todos? Ou ainda, existem mesmo crenças limitantes?

Sobre as crenças limitantes, sim, absolutamente elas existem e, via de regra, estão associadas à baixa autoestima, a acharmos que tudo é difícil ou permeadas por sentimentos de vitimização ou mágoa. Juntamente com elas podem vir sensações e pensamentos angustiantes, deprimentes e depressivos, o que por sua vez, acaba por causar bloqueios mentais e espirituais no indivíduo.

Mas o que fazer a respeito? Será que clamar por seu direito, dizer, e fazer exercícios mentais, ou catárticos, repetir dezenas de vezes “eu sou merecedor/a”, fará de você uma pessoa que viva em abundância? Bem, temo dizer que não.

Por outro lado, será que se você fizer um ritual e mentalizar todas as noites que tem um milhão de dólares na sua conta corrente pela manhã, isso acontecerá? A resposta para essa pergunta também será: não, não acontecerá.

Segundo o físico quântico e autor de livros Amit Goswami, a parte que em nós gera e atrai a vida que temos não é a mente racional ou a mente consciente, mas sim, nossa parte inconsciente, ou seja, aquilo que em nós só é acessível através da meditação, com o silêncio da mente racional. Para entender quais as crenças que têm dificultado uma vida mais abundante, é preciso olhar profundamente para dentro, com lucidez e sem julgamentos, numa atitude meditativa e de imensa compaixão. Portanto, apenas mentalizar a abundância não a promoverá, apenas pensar e refletir sobre, também não.

As crenças e atitudes só mudam com abordagens que vão para além da racionalidade. Pode-se utilizar a meditação, além da reflexão, para que juntas possam proporcionar a ampliação do autoconhecimento, mas depois, é preciso o cultivo de ações práticas para que as mudanças de hábitos e de crenças sejam reais. Sendo assim, se os sonhos de abundância são profissionais, será, muitas vezes, preciso investir em um estudo técnico, superior ou de pós graduação, ou ainda na aprendizagem de uma nova língua, por exemplo. É preciso se preparar para a busca daquilo que se quer. E aqui entramos em outro assunto, para além das crenças existem os hábitos, que são poderosos ao nosso consciênte e inconsciente.

Há pessoas que têm a crença de que tudo será mágico e rápido, dando margem para o hábito de procrastinar se instalar, afastando-se de tudo que lhe dê trabalho ou que exija comprometimento. Essa é uma fórmula básica para não se ter muito sucesso ou boa reputação profissional. Será, também, que se toda essa riqueza estiver em suas mãos, você estará disposto a lidar com os efeitos colaterais dessa posse toda?

Sim, há ônus em todo tipo de experiência. Ter dinheiro é ótimo, em grande quantidade, melhor ainda, mas é fato que cuidar e manter o dinheiro ou patrimônio, gera muita ansiedade e estresse. Porque de uma forma geral, tudo o que é material é perecível e mutável, e cria estruturas que limitam a liberdade humana. Tudo isso acaba por criar uma sensação de instabilidade, ansiedades e preocupações constantes.

Pode ser que aquele que busca abundância queira enriquecer depressa, com pouco esforço, e sonhe com maneiras fáceis como mentalizar e pensar num valor “x” que gostaria de ter na conta, como citei anteriormente, mas não reflete sobre o quanto terá que trabalhar e por quanto tempo, para ter, e depois, para manter a conta assim recheada, ou ainda, quanto ficará escravo em fazer ou em produzir sempre mais para manter suas necessidades saciadas e deveres financeiros saldados.

O sucesso pode ter inúmeros inconvenientes. O primeiro é que ele pode viciar e após um sucesso quer-se outro e outro infinitamente, não se sentindo jamais satisfeito. Além de que pode vir a se tornar uma “figura pública”, que vem com diversas responsabilidades frente às pessoas que lhe seguem, para o bem e para mal, pois é fato que a figura de sucesso será copiada. Isso, por sua vez, pode criar, muitas vezes, carmas de difícil solução.

Assim, antes de pedir por abundância de algo, é bom saber bem o por quê e o para que. Promover o autoconhecimento é essencial para viver uma vida com amplas possibilidades de realização, seja em qualquer campo da vida.

Continua em Abundância II

Paz Profunda!

Por A. Keene e T. Accioly
Compartilhar: